27/06/07

A sinceridade das crianças...

Numa dessas festas de catequese, que nesta época do ano se fazem, percorria eu a ala central da Igreja, durante a homilia, em diálogo aberto com as crianças… Tentava desta forma explicar agradavelmente as leituras usando este método dialogado.
Surpreenderam-me as crianças com a qualidade das respostas que me davam… Estavam muito bem preparadas!
Pior foi quando quis falar sobre a importância da Eucaristia… a centralidade deste sacramento e a necessidade de a Eucaristia ser sempre uma festa. Dizia eu:
- Se a missa não é uma festa não faz sentido celebra-la! E, se a missa não é uma festa, a culpa será de quem?
As crianças ficaram envergonhadas e a resposta não foi pronta, como nas questões anteriores... Surgiu entretanto alguém corajoso que disse baixinho:
- … do padre?
Não consegui deixar de rir pela sinceridade da resposta!
Muita gente crescida também pensa assim… Vivem como se Jesus tivesse dito:
- Fazei isto, oh padres e bispos, em memória de mim!
Pobre culpa que morre sempre solteira!

5 comentários:

sonia farmaceutica disse...

Padre Tó Carlos, primeiro que tudo quero agradecer a sua visita ao meu humilde cantinho.
A missa nunca será uma festa enquanto os crentes não perceberem que a missa não é para ser assistida mas sim para ser celebrada em comunidade. A Eucaristia deve ser o encontro com Cristo ressuscitado e, como tal, deve ser festa. Se nós "assistirmos" à missa como quem assiste a um espectáculo não há encontro e se eu não me encontrar com Cristo não aconteceu Eucaristia.

Anónimo disse...

Concordo com a Sónia, mas acrescentaria que é ao celebrante que cabe incentivar os fieis para que a Eucaristia se transforme em festa de encontro com Cristo.

Palheirense

Anónimo disse...

A eucaristia não é uma festa, como deveria, por responsabilidade de todos os que nela participam, e contra mim falo....
algumas semanas atrás fui á missa (sabaso 19H)e durante a homilia reparei nas expressões das pessoas que estavam á minha volta, havia uns que aproveitaram para por o sono em dia, outros ouviam com atenção mas não pareciam que estivessem a perceber, eu observava, e sabe o que as pessoas pareciam: robos! programados para responder a uma ordem mas sem sensibilidade...

Ou seja, o que eu quero dizer é que pessoas vão á missa, por costume, estão assim habituadas, mas nem entende o significado do que dissem ou do que respondem..nunca se questionaram..

mas quando alguma coisa corre mal...Deus é mau para eles!!!

è complicado...

elsa nyny disse...

As crianças vêm a Missa, talvez , e também pela disposição (Altar ...Assembleia) como algo a que vão assistir...e já sabes quando vamos assistir a algo, se as coisas não caminham como as idealizamos, a culpa, claro é de quem está do outro lado...entendo as crianças...eu também já fui criança, e traquina!! Mas, experimenta fazer a pergunta a 10 pessoas adultas separadamente...e depois vais ver que a ideia delas não vai ser muito diferente...porque a maior parte das pessoas vai assistir á Missa” e não participar, e enquanto for assim, de facto as coisas tornam-se dificeis...
H+a uma coisa que me impressiona imenso pela negativa é o facto de as pessoas estarem, durante a Missa a rezar o Terço...entre outras coisas...também costumam desembrulhar rebuçados, e aquele barulho estridente nunca mais termina...ai ai as crianças perto desta gente...e mais não digo!!!depois a culpa é sempre do outro...

ERute disse...

Eu gosto de Jesus e de estar com Jesus, e o sitio onde posso estar mais perto de Jesus é na Eucaristia, quando entendi isto passei a celebrar Eucaristia em comunidade junto dos outros irmãos e do sacerdote.
A Eucaristia para ser uma festa ainda maior pode ter imensas coisas que não depende do sacerdote, enquanto as pessoas não perceberem que a Eucaristia é uma festa e que só elas lhe podem dar esse sentido e que o sacerdote é "simplesmente" o centro da festa.

Quando vamos à festa de anos de um amigo se não celebrarmos com ele, será que a festa de anos dele é alegre? Talvez não porque até ele se sentirá triste.