21/02/07

40 Dias… 40 Pensamentos! Quarta-feira de cinzas

Durante esta Quaresma proponho, de forma diária, alguns pensamentos simples e bem breves.
Talvez seja importante pensar nisto.


“Enfraquecer a família penaliza a sociedade!
Promulgar leis em nítido contraste com a lei natural não é caminho para criar ordenamentos jurídicos que sejam garantia (de autêntica realização e futuro) para todos os cidadãos.”

15 de Fevereiro de 2007 - Bento XVI

31 comentários:

Anónimo disse...

Olá Padre Tó:

Os mitos agradam aos crédulos enquanto a reflexão crítica é apanágio dos herdeiros do «século das luzes» que as religiões, em geral, e o Cristianismo, em particular, se esforçam por apagar.

Sua admiradora:

Filomena Silva.

Ps. Não faça uso da letra de um Chefe da Inquisição; perdão,(Congregação para a doutrina da fé) encontrar melhor não é difícil concerteza.

Anónimo disse...

Seja inteligente.Nao monopolize num monologo os comentários a este fantastico espaço.

Anónimo disse...

«...Promulgar leis em nítido contraste com a lei natural...»

Peço desculpa, esqueci que este não é um espaço para debate mas simples proselitismo que condena o monólogo que não seja o seu, e promove o debate desde que seja mais do mesmo.

Se não sou inteligente, conseguirei ser educada, basta o dono do blog pedi-lo e não voltarei a comentar este espaço, pese embora as estatisticas indiciem o oposto.

Filomena Silva.

Pe. Tó Carlos disse...

1- Gostava imenso de manter este espaço sem ter de moderar comentários;
2- Gostava imenso que todos gostassem de passar por aqui e encontrassem motivos para reflectir;
3- Gostava imenso que todos respeitassem as pessoas e as instituições evitando insultos;
4- Gostava imenso que este espaço não vivesse da quantidade de visitas mas da qualidade;
5- Admito que estive tentado a bloquear os comentários face a afirmações tais como: “Chefe da Inquisição”; “O clero é quem menos acredita em Deus e quem mais se esforça por persuadir os outros”, “Se os bispos e padres soubessem o que é amar”, “Atenue esse saudosismo que ainda deixa transparecer, pela fogueira e o churrasco.”, “Obtendo da sua parte respostas obtusas e minguadas.”, “Falta de honestidade intelectual”! e tantas… tantas outras bem piores ainda!
6- Toda a gente e todas as opiniões aqui serão bem vindas enquanto respeitarem opiniões e opções de fé diferentes… Ás vezes parece-me que há gente a passar os limites da decência e da educação. Base fundamental para qualquer discussão.
7- O cristão é paciente! Veremos até que ponto.

palheirense disse...

Quem não se identifica com o que aqui é escrito tem é que passar ao lado. Não se compreende esta insistência em comentar, por vezes com frazes a roçar a ausência da boa educação, o que aqui se escreve. O Cristão deve ser paciente mas também é humano e ela esgota-se.
Abraço

js disse...

Apenas uma chamadinha de atenção para os números: é que os 40 dias da Quaresma só começam a ser contados a partir de domingo...

Anónimo disse...

O Pai celeste é tão generoso connosco que até nos dás mais dias para operarmos a conversão.

Anónimo disse...

Como somos diferentes desses coitados que tudo o que sabem fazer é usar palavras caras para confundir ou ofender.

Anónimo disse...

Não podemos ligar a insultos.
O que importa é aquilo que somos, e o Amor que temos a Deus e assim também ao próximo. ´
Só sendo diferentes é que podemos levar o outro a ver por outro prisma as coisas.

Mafaoli disse...

Também pensei que deveria pôr fim a comentários despropositados, mas estou de acordo com as suas razões.
Talvez seja como diz o ditado(ainda que mal comparado): "os cães ladram e a carabana passa"

Anónimo disse...

Caros amigos estes comentários só mostram que realmente somos diferentes... ainda bem!

joaquim disse...

Caro Pe. Tó Carlos
Parabéns pela firmeza da sua intervenção e pela dignidade da sua atitude.
Abraço em Cristo

Anónimo disse...

«Anonymous said...
O Pai celeste é tão generoso connosco que até nos dás mais dias para operarmos a conversão. »

Felizmente que ainda por aqui há gente com uma réstia de humor.
Bem haja!


Filomena Silva.

Anónimo disse...

Alguns bem precisam de muitos mais dias!

Anónimo disse...

só uma correcção se me é permitida...os 40 dias da quaresma contam-se desde 4ª feira de cinzas até domingo de ramos...edpois estamos na semana santa. Portanto 40 dias de quaresma é mesmo desde 4º feira de cinzas até domingo de ramos...e não como o JS afirmou aqui atrás.... senhor padre tó carlos não devia saber isso?

Pe. Tó Carlos disse...

Caro anónimo:

Se fosse a corrigir todos os erros ou a responder a todos os insultos ou criticas que surgem na caixa de comentários não faria outra coisa!

Obrigado pela sua colaboração.

Anónimo disse...

Padre Tó:
Se assinalei um erro foi para corrigir o texto, e o emendar, com a melhor das intensões!

Padre Tó Carlos; que têm a ver os erros (gafes) que você comete nos textos que apresenta, com os comentários ou críticas dos outros comentadores?

joaquim disse...

Já agora, parece-me, que nem o JS, nem o anónimo têm razão quanto ao tempo da Quaresma, pois no Missal diz o seguinte:
«O Tempo da Quaresma começa com a Quarta Feira de Cinzas e termina com a Missa «In Coena Domini» de Quinta Feira Santa.»
Salvo melhor interpretação, ou conhecimento.
Mas para todos nós é com certeza mais importante que a precisão do Tempo da Quaresma, vivê-lo na interioridade das nossas vidas, abrindo-nos a Jesus Cristo e aos irmãos.
Abraço em Cristo

Anónimo disse...

Penso que está haver uma perseguição à Filomena.

Toda a gente sabe que o actual papa dirigiu a congregação para a doutrina da fé, (que veio substituir o antigo santo ofício), onde está a ofensa?

Quem lê padre Mário da Lixa, ou Jean Meslier que pode pensar?

Quem lê o livro Sexo Padres e códigossecretos (2000 anos de abuso sexual n Igreja Católica) escrito por três Padres; que poderá pensar do celibato dos Padres? e será que não tem direito à sua opinião?

Além de não responderem às questões que ela coloca, e algumas temos que admitir que são pertinentes, ainda as taxam de ofensas e a ela de odiosa!

Porém frases referidas a ela como:
Os cães passam...
ou:
como somos diferentes desses coitados... já não as acham ofensivas!!

Penso que há alguma falta de isenção.
Não estarão a exagerar?

Dizem que todas as opiniões e fés são bem vindas, mas não me parece que seja isso que está a suceder.
José.

Anónimo disse...

" perseguição à Filomena."
???????

Nós nem a queremos cá!
Ela é que insiste em ser chata e não "descola" apesar de ninguém lhe ligar nenhum.

Pe. Tó Carlos disse...

Finalmente surgiu uma questão minimamente séria do lado de quem eu, por mais que queira, nao vou conseguir converter. Não tem mal... eles a mim também não conseguem!
Aqui vai uma brevissima explicação.

Quaresma, do latim “quadragésima”, é o tempo de preparação para a Páscoa da Ressurreição. Começa na Quarta-feira de Cinzas e vai até a missa da Ceia do Senhor (exclusive), com a qual iniciamos o Tríduo Pascal. São quarenta dias em que somos convidados a viver o mistério de Jesus no deserto, a ficar cara a cara com Deus, na oração pessoal e comunitária, escutando Sua palavra, sendo provado por ele, deixando que purifique e renove nosso coração (conversão) e nos afaste de tudo aquilo que nos impede de viver a nossa fé com radicalidade.
A duração da Quaresma está baseada no simbolismo bíblico do número 40: os 40 dias do dilúvio, os 40 anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, os 40 dias de Moisés e Elias na montanha, os 40 dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública, dos 400 anos que durou a estada dos judeus no Egito, entre outros. Hoje, o número 40 que deu nome a este tempo litúrgico não fundamentalmente um significado cronológico, mas principalmente teológico e espiritual.

Assim valia a pena discutir...

joaquim disse...

Caro Pe. Tó Carlos
Ora aí está para que serve uma discussão: para esclarecer.
Podiamos dizer com graça:
O Missal tinha razão!!!
Abraço em Cristo

Anónimo disse...

«A duração da Quaresma está baseada no simbolismo bíblico do número 40: os 40 dias do dilúvio,...»

Caro Padre Tó Carlos:
Vou aproveitar, está numa de esclarecimentos:

Como explica que numa arca (de Noé), coubessem todos os milhões e milhões de seres vivos que povoam o planeta Terra?
Como se alimentaram estes durante os quarenta dias, quem lhes deu de comer e onde estava a comida que saciaria a fome destes milhões e milhões de seres vivos?

Não podendo acusar-me de menos educada ou insultuosa, aguardo resposta.
Obrigada.

Filomena Silva.

Anónimo disse...

Caro Padre Tó:

Aguardo a sua resposta!

Filomena Silva.

Anónimo disse...

...

js disse...

Sobre a duração da Quaresma, e em resposta a um anónimo, ao Joaquim e ao reverendo Tó Carlos:

É verdade que o tempo litúrgico da Quaresma, actualmente, e para a Igreja Católica, começa em Quarta-feira de Cinzas e vai até Quinta-feira Santa. Ninguém contesta isso.

É também verdade que tal período excede os 40 dias, como é fácil de constatar.

É ainda verdade que o número quarenta, aplicado à Quaresma, deve ser considerado preferencialmente simbólico, em consonância, aliás, com o sentido em que é referido nas diversas passagens bíblicas que o consagraram.

Todavia, “preferencialmente” não significa “exclusivamente”. Ou seja: não é incorrecto ou descabido proceder a uma leitura literal, entrevendo uma correspondência directa, matemática, entre o tempo quaresmal e o mencionado número. Tal leitura é validada pela história da formação da Quaresma.

Não se estando perante um processo linear, é possível, no entanto, identificar positivamente alguns marcos significativos de evolução. Enquanto período de preparação para a Páscoa, a Quaresma começou por ser constituída por dois dias (Sexta e Sábado Santos); passou depois para uma semana (sobretudo aquando da adopção da celebração do Domingo de Ramos, importada da liturgia de Jerusalém); seguidamente, em Roma, atravessou uma fase de três semanas (de que a Quaresma actual conserva vestígios); e, em determinada altura, evoluiu para seis semanas, precisamente para se adequar à simbologia dos 40 dias. Da contagem excluiam-se a Sexta e Sábado Santos, então já considerados à parte, como pertencendo ao Tríduo Sacro.

A expansão da Quaresma, porém, não se ficará por aqui: há-de absorver alguns dias precedentes, no intuito de salvaguardar a cerimónia das Cinzas (inicialmente destinada ao acolhimento dos penitentes, às portas da Quaresma); progredirá para uma Quinquagésima (por influência oriental); estender-se-á a uma Sexagésima e, finalmente, a uma Septuagésima (duração em vigor antes da reforma do Vaticano II). Estas evoluções posteriores levaram, em alguns casos, a equacionar outras formas de contagem dos 40 dias; mas a original mantém-se como a mais válida.

Resumindo: trata-se de uma questão técnica, de pormenor, claramente secundária e provavelmente sem interesse para o autor do blog e a maioria dos seus leitores, cristãos ou pagãos; mas a verdade é que, em sentido preciso, os 40 dias da Quaresma começam a ser contados a partir do primeiro domingo do referido tempo litúrgico...

joaquim disse...

J.S.
Na parte que me toca, obrigado pela explicação.
Curiosamente, sem saber do que agora explica, começei no "meu" blogue uma série de perguntas diárias, para minha, (partilhando com os outros), reflexão quaresmal, e a que dei inicio precisamente no 1º Domingo da Quaresma!
Abraço em Cristo

Anónimo disse...

Caro Padre Tó:

Continuo guardar a sua resposta!

Filomena Silva.

Chris Carpenter disse...

I really think this is probably a most valuable resource for any one that wants succeed on the internet.Your article is excellent,this article is very interesting for Internet marketers,
click on the following link to find similar articlesInternet Marketers

Pe. Tó Carlos disse...

Cara amiga ainda aguardo a pergunta colocada de forma séria!

Pe. Tó Carlos disse...

Afinal tinha colocado uma questão e eu não tinha reparado! Desculpe.

A respeito da questão que coloca teriamos imenso que discutir sobre a dimensão histórica e a dimensão teologico-catequética dos textos sagrados.
Concerteza sabe a resposta a dar a si própria!