04/05/07

O menino do balão

Presenciei esta manhã esta deliciosa cena:
Alguém dá um balão a um menino que estava durante o dia confiado aos cuidados de um tio por indisponibilidade da mãe.
O menino tentou de todas as formas encher o balão. Mas, porque era ainda muito pequeno (não tinha muito mais de dois anos) não conseguiu.
Entretanto liga a mãe e pergunta ao seu irmão se tudo corre bem com o seu filho. O tio do menino, para atestar o momento engraçado, passa o telefone à criança que, colando o telemóvel junto da boca do balão, pede:
- Mãe enche o balão… enche!

Ás vezes a nossa relação com Deus é assim como crianças birrentas que apenas sabem fazer uma coisa… Ajuda-me Pai… Ajuda-me!
Fazemo-lo de forma consciente e de forma inconsciente! O que é certo é que habitualmente confiamos e sabemos que é Deus e só Ele que, em última instância, nos pode socorrer… somos tantas vezes assim como a criança que não consegue encher o balão e pede, sem duvidar, ajuda à mãe para encher um balão ao telefone!

3 comentários:

Babi e Zé Luiz disse...

Olá!!!

Bom é ser criança! Mas bom mesmo é crescer, evoluir, e ainda assim permanecer com o que teve de bom na infância!

Assim deveria ser a nossa Fé! Mas, ou somos muito "maduros" ("auto-suficientes" seria um termo bem mais adequado), ou muito "crianças" ("manhosos" e "irresponsáveis" e "acomodados" seriam termos mais eficientes)!

Paz & Bem!!!

Zé Luiz.

elsa nyny disse...

Olá!!
Que linda a comparação!
È isso mesmo, nós seremos sempre crianças pequeninas aos olhos de Deus, é por isso que ás vezes também nos comportamos como tal!!
Gostei da história...real!


beijinhos!
:)

ERute disse...

Gostei imenso da comparação.
A inocência das crianças é tão bela.